Mitos sobre Sexo


Podem influenciar o nosso comportamento e afetar a relação sexual. Por vezes, estão na origem de algumas disfunções. Conheça os mais comuns e a verdade sobre eles.

1. Homem que é homem está sempre pronto para o sexo - Falso.

É um dos mitos que mais ‘vítimas’ faz entre ambos os géneros. Por causa dele, muitos homens põem-se em causa perante uma diminuição do desejo. E as respetivas companheiras tendem a assumir a culpa de não serem suficientemente desejáveis. Fernando Mesquita, terapeuta especializado em sexologia clínica, explica que, além dos homens não terem de estar sempre disponíveis para o sexo sem que isso seja um problema, existem variadíssimas razões para a ausência do desejo que se prolonga no tempo: “Pode ficar a dever-se a questões hormonais, ou seja, diminuição da testosterona, depressão, cansaço ou stress.” Por vezes, pode significar falta de interesse na parceira. 2. A mulher que não consegue atingir o orgasmo durante o coito é menos mulher - Falso.

Somos impelidos a dizer que a culpa é de Freud, já que uma das suas teorias parece estar na base deste mito do orgasmo vaginal. É que o pai da psicologia argumentava que as mulheres que atingiam o clímax através da estimulação do clítoris eram imaturas. “Era como se se tratasse de um orgasmo inferior. O que não é, de todo, verdade”, observa Fernando Mesquita, explicando que todos os estudos demonstram que a maior parte das mulheres atinge o orgasmo através da estimulação do clítoris. E mesmo nos casos em que isso acontece durante a penetração, desconfia-se que uma estimulação do clítoris, ainda que indireta, graças a algumas posições durante o coito, contribua para isso. 3. Casais em sintonia atingem o orgasmo em simultâneo - Falso.

É complicado e são raros os casais que conseguem atingir o clímax ao mesmo tempo, independentemente do ponto em que se encontra a relação. Mas, segundo o especialista, o mito “assombra” alguns homens e algumas mulheres que gostariam de fazer parte das estatísticas de sucesso neste campo. Porquê? Há muita responsabilidade “de algumas revistas que fazem capa com o assunto, apresentando-o de forma tão simples e natural que as pessoas se convencem de que é muito fácil chegar ao orgasmo simultâneo. Por isso, se não chegam, questionam-se sobre a sua normalidade”, esclarece Fernando Mesquita. 4. Os pénis dos negros são maiores - Falso.

Embora estudos feitos demonstrem que os asiáticos têm em média o pénis mais pequeno que os europeus e os africanos têm em média o pénis maior, “na realidade há homens brancos que têm pénis maiores que muitos homens negros”, desmistifica o terapeuta, explicando: “Não é a etnia que determina o tamanho.” De qualquer forma, e de acordo com os estudos levados a cabo nesta matéria até ao momento, o pénis maior era de um homem branco.

5. As mulheres preferem homens com pénis grossos - Verdadeiro.

Em matéria de tamanho do pénis, as preferências são muito relativas. Há mulheres que preferem pénis longos, para outras estes são sinal de dor e desconforto. Por fim, há quem os prefira “pequenos, mas trabalhadores”, como costumam dizer. Do que não restam dúvidas é que as mulheres são mais facilmente excitáveis por pénis grossos, que lideram as preferências da esmagadora maioria do sexo feminino.

6. Falta de ereção é sinonimo de falta de interesse - Falso.

A relação entre uma coisa e outra não é direta. De facto, a falta de ereção pode ficar a dever-se a falta de interesse pela parceira, mas também por razões de saúde, sendo muitas vezes o que acontece. “A tensão arterial elevada e a diabetes à volta dos 30 a 50 por cento” podem desencadear este problema, assim como alguma medicação, “mas, nestes casos, a ereção pode ser posta de lado e alcançar o prazer de outras formas”, esclarece o terapeuta.

7. Relação sexual é penetração - Falso.

“Todo o resto também é sexo. Inclusive a própria forma de tirar prazer das carícias”, garante Fernando Mesquita, explicando que em clínica, quando existem dificuldades sexuais, “uma das formas de procurar ultrapassá-las é proibir precisamente o coito, para o casal ter novas aprendizagens e não ficar tão obcecado pela penetração”. Mas, de facto, este é mais um daqueles mitos com um enorme peso!

8. O coito é perigoso para o feto - Falso.

Existe esse receio mesmo entre os casais dos nossos dias. Aliás, há muitos mitos à volta da gravidez. Mas, relativamente a este, desde que não haja contraindicações médicas, a vida sexual dos futuros progenitores pode desenrolar-se normalmente: o bebé não corre qualquer tipo de perigo. “Algumas posições podem ser mais incómodas, mas existem muitas outras”, e, portanto, este pode ser o momento certo para as experimentar. 9. Os homens são mais promíscuos do que as mulheres - Verdadeiro e Falso.

Trata-se também de uma questão cultural. “Os homens são incentivados a ter este tipo de comportamento, enquanto as mulheres são, de alguma forma, reprimidas.” Por esta razão, elas também são levadas a esconder mais os seus comportamentos ditos “reprováveis” socialmente. É um segredo bem guardado!

10. A impotência só atinge homens mais velhos - Falso.

Também se contam dificuldades de ereção em indivíduos mais jovens, esclarece o terapeuta. “Normalmente, estas dificuldades ficam a dever-se a causas psicológicas: o medo da primeira vez, o medo de falhar, de não ser capaz de satisfazer a parceira.”

11. Usar duas “camisinhas” é mais seguro - Falso.

O terapeuta explica que é um grande risco, pois o uso de dois preservativos aumenta a possibilidade “de existir mais atrito entre os dois e se romperem”. Mas convém usar um não só para proteger de uma gravidez não desejada mas também de doenças sexualmente transmissíveis. É uma questão de responsabilidade!

12. O desejo e a potência sexual diminuem sensivelmente depois dos 40-50 anos - Verdadeiro e Falso.

Eventualmente, nos homens acontece, uma vez que com o avançar da idade dá-se uma diminuição da testosterona, “que é a hormona por excelência do desejo”. Nas mulheres, não tanto. “Diz-se mesmo que as mulheres mais maduras são aquelas que têm mais desejo. Isto porque ao longo do tempo foram aprendendo formas de tirar prazer”, comenta Fernando Mesquita, sublinhando a importância desta aprendizagem “para que, depois, o sintam na relação sexual”. 13. Quando o homem ejacula termina a relação sexual - Falso.

Isto significa que quando o homem atinge o orgasmo a relação sexual deve terminar, o que não é de todo verdade. “Isso é o que acontece geralmente quando existe uma ejaculação prematura e o homem fica de tal forma frustrado que não se lembra mais tarde de ter dado prazer à parceira”, explica Fernando Mesquita. O desejável é que ele, mesmo assim, esteja disponível para isso.

Fonte: Revista Máxima

#Sexo #Psicologia #Revistas

88 visualizações

Campo Grande, N. 4, 6º Dt

1700-092 Lisboa

Tel: 969091221

  • Facebook Social Icon
  • Blogger Social Icon