Desejo Sexual Hipoativo Masculino

Desejo Sexual Hipoativo Masculino

A característica essencial do Desejo Sexual Hipoativo consiste numa deficiência ou ausência de fantasias sexuais e desejo de atividade sexual e causar acentuado mal estar ou dificuldades interpessoais.

Critérios de diagnóstico

A. Pensamentos ou fantasias sexuais/eróticos e desejo de atividade sexual persistentemente ou recorrentemente diminuídos (ou ausentes). 


B. Os sintomas do Critério A. persistiram por um período mínimo de aproximadamente 6 meses.


C. Os sintoma do Critério A. causam mal-estar clinicamente significativos ao indivíduo.


D. A disfunção sexual não é mais bem explicada por uma perturbação mental não sexual ou como uma consequência de dificuldades relacionais graves ou de outros fatores de stress significativos e não é atribuível aos efeitos de uma substância/medicamento ou outra condição médica.


(Informação retirada de DSM-5, APA)

Comorbilidade

Na perturbação de desejo sexual hipoativo masculino é frequente a comorbilidade com depressão e outras perturbações mentais, bem como fatores endocrinológicos.


(Informação retirada de DSM-5, APA)

Tratamento

Na primeira sessão é realizada uma avaliação criteriosa para um correto diagnóstico clínico. Em algumas situações podem ser indicados exames clínicos.


Se a Terapia Sexual for a mais indicada, é apresentado um plano de tratamento com sessões períodicas, com duração de aproximadamente 45 minutos/cada.


Sempre que possível, e caso exista uma relação, é sugerido que o/a parceiro/a compareça na sessão inicial e/ou seguintes.

Consequências mais comuns

# 1
Pode contribuir para a dificuldade de conceção.

# 2
Está frequentemente associado a mal-estar psicológico em um ou ambos os parceiros.

# 3
Alguns parceiros sexuais podem referir que se sentem menos atraentes sexualmente porque o seu parceiro não tem vontade/desejo sexual.

A característica essencial do Desejo Sexual Hipoativo Masculino consiste numa deficiência ou ausência de fantasias sexuais e desejo de atividade sexual e causar acentuado mal estar ou dificuldades interpessoais.


O baixo desejo pode ser global e envolver todas as formas de expressão sexual, ou pode ser situacional e limitado a um parceiro ou a uma atividade sexual especifica (por exemplo, relações sexuais mas não masturbação).


Existe pouca motivação para procurar estímulos sexuais e a frustração quando privado da expressão sexual é reduzida.


O sujeito habitualmente não inicia a atividade sexual ou pode apenas envolver-se nela com relutância quando ela é iniciada pelo parceiro. Se bem que a frequência de experiências sexuais seja habitualmente baixa, a pressão do parceiro ou necessidades não sexuais (por exemplo, para conforto físico ou intimidade) pode aumentar a frequência dos encontros sexuais.


Um baixo desejo está frequentemente associado a problemas de excitação sexual ou a dificuldades no orgasmo (mas não obrigatoriamente).


Fatores de risco:

  • problemas com a imagem corporal;

  • preocupações acerca da sobrevivência (exemplo, dificuldades económicas)

  • dor; 

  • perturbações depressivas ou ansiosas;

  • conflitos conjugais;

  • outras disfunções sexuais (ejaculação prematura, disfunção erétil, entre outras)

  • consumo de álcool;

  • perturbações endócrinas (hiperprolactinemia; baixa testosterona; hipogonadismo)


ATENÇÃO: o aparente "baixo desejo" num parceiro pode, ao invés, refletir uma excessiva necessidade de expressão sexual pelo outro parceiro (veja vicio sexual).

Solicitar Informações

Para mais informações sobre as consultas de sexologia, não hesite em contactar-me.

Agendar Consulta

Identifica-se com esta situação?  Esta condição causa-lhe mal-estar?

Procure ajuda!

Subscrever Newsletter

Subscreva para receber noticias minhas

Erro,por favor tente mais tarde.

Obrigado por subscrever!

FUNDO BRANCO.png
Home3.jpg
Fernando 3-4.png

Comece já 
a melhorar a sua vida 

Agende uma consulta e consiga o suporte e a ajuda para voltar a uma vida harmoniosa e saudável